Foto topo: Douglas Fernandes

 

Camarões, lagosta, siri, bacalhau, polvo, ostras, vieira, vôngole, peixes das mais variadas espécies e grande variedade de frutos do mar – tudo fresquíssimo!

 

Para completar um ‘açougue-restaurante de rua do mar’ no mezanino, com pratos criados por Dario Costa, vencedor em 2020 do reality show Mestre do Sabor, da TV Globo.

  

O Mercado de Peixes de Santos é, desde 1982, uma atração turística, presente no roteiro de visitantes e, claro, dos moradores da cidade.

Estrutura

Desde 18 de julho de 2020 em novas, modernas e bem equipadas instalações, o Mercado de Peixes ocupa um imóvel de 2 mil m², totalmente climatizado e conta com 20 boxes, dois deles destinados a temperos e artigos de pesca.

  

O mercado dispõe de sistema de drenagem dotado de separador de escamas e filtro para evitar o odor na vizinhança, câmara fria para armazenamento de gelo e área refrigerada para detritos.

   

O prédio oferece acessibilidade (inclusive nos sanitários), com rampas e elevador de acesso ao mezanino, e seu estacionamento tem capacidade para 40 veículos.

 

Foto: Susan Hortas

Garças

Seis esculturas de garça, confeccionadas em fibra de vidro, decoram o ambiente interno, lembrando as aves que permaneciam junto ao antigo prédio do mercado, aguardando nacos de peixe oferecidos pelos comerciantes e clientes, sobretudo crianças.

 

Há ainda um painel com uma breve história do equipamento, além de paredes com painel de ladrilho hidráulico no formato de peixes.

 

Foto: Leandro Frota

Paru

No mezanino, funciona o Paru, uma espécie de lanchonete de frutos do mar, com comida informal e cardápio enxuto, baseado em sanduíches (tem até hot dog, mas de salsicha de frutos do mar), porções, peixes e frutos do mar na brasa.

  

De proposta diferente e de ambiente descontraído, conta com uma grande parrilha e uma churrasqueira fechada, astros desta cozinha, e com um açougue do mar, onde se pode comprar itens para terminar o preparo em casa.

  

Mas nem pense em pedir salmão ou bacalhau. O restaurante não serve peixes que viajaram de avião para chegar a Santos – todos os itens são de águas brasileiras e, na maioria das vezes, oriundos da pesca artesanal da região mesmo. E quase 100% dos legumes e verduras são orgânicos, procedentes de agricultura familiar.

 

Foto: Davi Realle

 

Estilo

O prédio, que integra o projeto da nova Ponta da Praia, foi inaugurado em 18 de julho de 2020, obra realizada pela iniciativa privada, sem custo para o Município – trata-se de parte de uma compensação exigida pela Lei de Uso e Ocupação do Solo pela desativação de um centro de convenções localizado no bairro Campo Grande.

 

Ele substitui o antigo Mercado de Peixe José Augusto Alves, inaugurado em 16 de janeiro de 1982 na praça Almirante Gago Coutinho, também na Ponta da Praia, que dispunha de 15 boxes. O prédio recebeu o nome do ex-presidente da Cooperativa Mista de Pesca Nipo-Brasileira, então um dos maiores comerciantes de pescados da região.

 

De estilo modernista, projeto pelo arquiteto Antonio Carlos Quintas (1947-1982), que faleceu em frente ao próprio mercado na véspera da inauguração, o prédio possuía cobertura em concreto e alvenaria, com formato de abóbodas, tecnologia inovadora à época. A composição de peixes estilizados que ornamentava as paredes externas era destaque no prédio.

  

Essa cobertura em arcos foi preservada e hoje integra a área do Santos Convention Center, também inaugurado em 2020.

 

Foto: Susan Hortas