Escunas

Foto principal: Ademir Henrique

 

Os passeios de escuna pela Baía de Santos mostram uma vista privilegiada e curiosa da cidade. As paisagens são inesquecíveis: barcos de pesca, transatlânticos, navios de carga e a riqueza ambiental misturam-se com o pano de fundo formado por centenas de edifícios, entre eles vários patrimônios históricos e os famosos prédios tortos.

Roteiro

Com duração de 1h30, em média, o roteiro começa na Ponte Edgard Perdigão, no bairro Ponta da Praia. As escunas navegam pela orla em direção à Ilha Urubuqueçaba, rodeada de lendas. Pelo caminho, observa-se a Fortaleza de Santo Amaro da Barra Grande, do século 16; Ilha das Palmas e pequenas praias.

 

Foto: Tadeu Nascimento

Animais

Com sorte, é possível ver tartarugas-marinhas próximas às praias do Góes e Sangava. As aves que mergulham em busca de alimento fazem parte dessa bela paisagem. As mais comuns são as garças, gaivotas, atobás e quero-queros.

 

Foto: Divulgação

Pausa para o mergulho

O passeio de escuna inclui ainda mergulho em alto-mar e roteiro pelo canal do Porto, o maior e mais importante da América Latina. Então, não se esqueça da roupa de banho para aproveitar ainda mais essa verdadeira aventura. E leve uma toalha também se secar e continuar se divertindo.

 

Foto: Divulgação

Ponte Edgard Perdigão

Uma das principais novidades do local é o píer flutuante que, interligado à ponte por uma passarela articulada, permitirá o acesso de cadeirantes e pessoas com mobilidade reduzida às embarcações.

Integrado por duas plataformas em concreto armado, o píer é formado por duas peças, totalizando 4,8m de largura, 12m de comprimento e 1,05m de altura. Inclui uma passarela de aço dotada de guarda-corpo, obedecendo às normas da Marinha; piso em madeira tratada e antiderrapante; cinco poitas de concreto, cada uma com 3,5 toneladas, e respectivas correntes de ancoragem.